sexta-feira, 2 de novembro de 2018

Vencemos, Patriotas!

Embora este blog não dê ênfase a noticias relacionadas á Política, eu não poderia deixar de registrar esse momento histórico pelo qual passou nosso país. Um movimento democrático que revolucionou o conceito de votar, de simplesmente ir às urnas e digitar os números de seus candidatos. Foi muito além disso. Foi a eleição mas atípica da história do Brasil. Bom, isso desde que nasci.

Desde o Impeachment do Fernando Collor, não votei mais em ninguem. Me abstive de exercer esse dito "ato cívico", porque não acreditei mais em nenhum político de nossa nação. Aí chegou o dia em que o grande ídolo dos militantes do Partido dos Trabalhadores, Lula, assumiu a Presidência, com suas promessas mirabolantes de retomada da Economia, e crescimento sem igual na história do país. Pura enganação, como é a cara do PT. E o que rolou, desde sua posse, escândalos, Lava-Jato, passando ainda por sua "coleguinha" Dilma, até sua prisão, na atualidade, todo mundo já sabe. Não precisarei descrever aqui.

Até que no dia 31 de março de 2017, as Forças Armadas assumiram o comando das ações para restaurar a ordem e dominar a subversão dos comunistas em nosso país.

Paulo Chagas, General da reserva, fez um desabafo durante uma comemoração que ocorreu no dia 31 de março do ano passado.

“O povo brasileiro já defenestrou um partido corrupto (PT) e uma presidente inepta […] e está rejeitando um canalha que se chama Lula da Silva […] que pretende voltar ao poder, mas não voltará porque a nação não quer que ele volte … porque ele não merece … ele é um enganador”


“Ninguém pode estar melhor informado do que as Forças Armadas. Se alguma atitude tiver que ser tomada, vai ser tomada na hora certa”


E nesse meio tempo, eis que vejo despontar, de forma tímida, um homem - que seria mais à frente muito mais que um simples homem - que me fez acreditar novamente. Que eu poderia ir ás urnas e depositar meu voto naquele que representava tudo aquilo que eu desejava para meu país. Alias, não só eu, mais milhões de patriotas, que estavam já sufocados, estrangulados por esse sistema podre e sujo que dominava o Brasil. 
Mas o que tinha esse homem, Jair Messias Bolsonaro, até então desconhecido pela grande maioria do povo brasileiro, de tão especial assim? O que poderia explicar um eleitorado tão pouco homogêneo estar fazendo esse movimento espontâneo e desarticulado? Uma resposta óbvia está sendo dada: o anti petismo. Faz sentido, e isso não é pouca coisa, mas acreditamos que há um elemento adicional nessa migração de votos: O cansaço geral que as pessoas estão sentindo a respeito das “ideologias”, e que resulta no desejo desesperado de retorno ao “senso comum”.

Vamos chamar de “ideologia” qualquer conjunto de ideias estruturadas por intelectuais, que tem como propósito alterar o comportamento das pessoas e da sociedade. Alguns intelectuais acreditam que a sociedade não caminha naturalmente, espontaneamente para um futuro melhor, e se dedicam a criar, com base exclusiva na razão, modos de alterar o modo de pensar e de agir das pessoal.

São exemplos de ideologias barra-pesada o Comunismo, o Socialismo e o Nazismo. É exemplo de ideologia mais leve a Social Democracia. São ideologias porque as sociedades não convergem naturalmente para essas ideias, sendo necessário o uso do Estado para implantá-las à força.

Há exemplos históricos de revoluções criadas por intelectuais com base em ideologias, que resultaram em violência, assassinatos em série, destruição e fome: Revolução Francesa, Revolução Russa, Revolução Chinesa, Revolução Cubana. Todas elas têm traços comuns: seguem as cartilhas de intelectuais que defendem ideias de aumento do poder do Estado, o que se alcança destruindo liberdades individuais, a família, a religião, as associações civis, o ensino livre e as manifestações culturais espontâneas.
Na classe política, poucos se atrevem a defender publicamente o Comunismo, e até mesmo uma versão mais leve de ideologia de esquerda, o Socialismo. Mas a classe política brasileira quase que inteira é influenciada pelas ideologias, preferindo uma versão mais leve: a Social Democracia. Nesse balaio da Social Democracia podemos colocar quase toda a classe política do Brasil que tem representação do Congresso Nacional hoje: PMDB, PSDB, PT, DEM, REDE...

O mal que a alta cultura está provocando no Brasil é fenômeno já muito bem documentado. Certamente, o livro “O Imbecil Coletivo”, de Olavo de Carvalho, recentemente reeditado pela Editora Record, foi o primeiro grande alarme que se deu a respeito, já na década de 90, mas essa ideia, aparentemente, ainda não está clara na cabeça do povo. Outra obra de Carvalho que mostra a influência de ideologias na destruição da cultura, dos valores e das instituições é “O Mínimo que você precisa saber para não ser um idiota”. 

Recentemente, o antropólogo Flávio Gordon, no seu livro “Corrupção da Inteligência” mostra que a chegada e a permanência do PT no poder (2002 a 2016) não seria possível sem a influência das ideologias de Gramsci e Marcuse, – filósofos marxistas – na academia. Para Gordon, os jornalistas, num processo mimético, compram as ideias dos intelectuais e espalham o tóxico ideológico por toda a sociedade

O que a maioria das pessoas quer é trabalhar, pagar suas contas, cuidar da sua família, ter sua religião respeitada, cultivar a memória que tem do seu passado e repetir o que o vovô, a vovó, a mamãe e o papai fizeram e ensinaram a fazer. A maioria das pessoas não quer mais ser violentada por universidades públicas, jornais, revistas e programas de televisão com ideias malucas.

É isso o que Bolsonaro representa, além do anti petismo, quando fala da família, das universidades públicas, da imprensa, de Deus. O retorno, que as pessoas querem desesperadamente, ao senso comum.

Votei em Bolsonaro, não porque cara é bonitão, militar, ou mesmo "Salvador da Pátria", "O Mito"....nada disso. Isso é idiotice do pessoal da dita "Direita", pois o cara nem assumiu ainda, como pode ser o "salvador"? Então, isso é exagero e fanatismo...

Votei porque vi nele uma figura que representa o Brasil que eu quero, livre dessa opressão vermelha, que me impede até sair de casa em segurança, com medo de balas perdidas; que faz com que o bandido, criminoso, tenha mais direitos que eu, que trabalho honestamente pra manter o meu sustento e minha família; que me enoja em ver nossas crianças nas escolas aprendendo sobre sexo, na mais tenra idade, quando na verdade tinha que aprender sobre valores cívicos e pátrios; que acha que o "sexo entre os iguais" é tão perfeitamente normal quanto o sexo entre os héteros; que inverte todo o significado de Cultura, alterando drasticamente os valores morais pré-estabelecidos....

Por essas e outras é que votei em Bolsonaro. Porque não sou de Direita, nem sou de Esquerda, não sou de rótulos! Sou Brasileiro! Sou patriota! amo meu país, mas não concordo e abomino essa sujeira que implantaram nele. E como patriota, vou lutar pelo meu país, pela sua liberdade e independência, e minha bandeira jamais será vermelha!...pois ela sempre foi verde, amarela, azul e branco. E assim será.

Sinto se minha forma de pensar não agrada a todos os meus leitores (perfeitamente normal) mas é assim que me posiciono nesta grande imensidão de terra chamada Brasil...




Nenhum comentário:

Postar um comentário